AÇÕES
LÚDICAS | ARTÍSTICAS
LÚDICAS
 
  • EMENTA

    Inspiradas por princípios de tinkering e aprendizagem criativa, as oficinas Xarabemba desenvolvem atividades que misturam teatro e palhaçaria com a construção de máquinas e circuitos malucos. De forma lúdica, os participantes encontram-se com conteúdos de eletrônica básica, mecânica, matemática e lógica. As atividades são sempre adaptadas ao contexto de cada turma. A pesquisa e a diversão são in­finitas! Conheça as oficinas:

    XARABEMBA - MÁQUINAS IMPROVÁVEIS

    Como as máquinas se movem? Xarabemba é uma experiência criativa dentro do universo das máquinas e seus motores. Cada Xarabemba tem uma personalidade própria, emite seus sons e possui um jeito único de se mover. A o­ficina propõe a experimentação de princípios de transmissão de movimento, técnicas para construção de estruturas com palito e cola e circuito elétrico simples.

     

    MUNDO PAPELÃO

    O papelão é um material utilizado mundialmente na construção de diversos objetos e estruturas, pois sua resistência, maleabilidade e baixo custo torna-o acessível e uma excelente opção para as mais diversas invenções. Nesta ofi­cina, os participantes terão contato prático com diferentes técnicas para construção em papelão.

    DOCENTE: GUSTAVO SAULLE

    É educador maker e palhaço. Sua trajetória começou dentro da plataforma de pesquisa Lilo.Kids e nos colégios Porto Seguro e Escola Viva, nesta época prestando serviço para empresa Nave a Vela. A partir do encontro com alunos da faixa etária de 7 a 12 anos, no período de um ano, constatou a necessidade de desenvolver estratégias que estimulassem seus alunos a buscarem soluções criativas para seus projetos além de diferentes modos de ampliar o engajamento e a expressividade.

    PÚBLICO-ALVO Licenciandos, docentes, gestores, mantenedores, técnicos pedagógicos, dirigentes, profissionais da educação

     

     

    DURAÇÃO Dois encontros de 4 horas cada (total 8 horas) por oficina

    NÚMERO DE PARTICIPANTES Até 20

    MATERIAIS A combinar

    VALOR R$ 400,00 hora/aula

    OFICINAS XARABEMBA

  • EMENTA

    a exposição interativa visa proporcionar aos estudantes um tempo e espaço de exploração, investigação, construção e criação de máquinas complexas, utilizando princípios simples e diversos tipos de materiais, principalmente reutilizáveis. "Engenhocas, bugigangas e outros inventos" é um convite à criação. Um momento em que os participantes têm a possibilidade de inventar aparatos, engenhocas, bugigangas, mecanismos complexos, utilizando princípios muito simples, como causa e efeito e reação em cadeia, semelhantes às máquinas de Rube Goldberg. Há três tipos de maquinaria que podem ser construídos com diferentes materiais, mas todos envolvem força da gravidade e bolas de vários formatos e tamanhos. O primeiro tipo de engenhoca consiste em circuitos e percursos para bolinhas de tênis ou borracha com tubos e canos de papelão, caixotes e conexões T e Y de PVC. A segunda espécie de aparatos é construída a partir de uma rampa, que pode ser uma mesa ou bancada inclinada, fita crepe, peças de madeira, oriundas de restos de marcenaria e bolinhas de gude ou ping-pong. O resultado se assemelha às máquinas de fliperama ou pinball. O terceiro conjunto é composto por placas de madeira perfuradas, onde as peças de madeira são encaixadas ou sustentadas por pinos e prendedores. As bolinhas correm por essas peças. Nas três categorias serão montadas uma proposta como ponto de partida, onde os participantes podem interagir e modificar, e outras onde tem-se a oportunidade de criar a partir do início.

    DOCENTE: VITOR JANEI

    Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), Especialista em Linguagens das Artes pela Universidade de São Paulo (USP) e Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atualmente é Doutorando em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Estudou percussão com Luís Zanetti, no Instituto Brincante; ritmos brasileiros com Ari Colares; música corporal com Fernando Barba (Barbatuques); música latina com Camilo Zorrilla. Atuou nos espetáculos “O médico e a forca” (2000), “Recomeço” (2001) pela Companhia de Teatro Millenium e, no “Auto do bumba meu boi” (2013), pela Cia Teatro do Baú. Foi membro do grupo de pesquisa de danças populares maranhenses “Pé no Terreiro” (2012) e, do grupo de estudos em manifestações brasileiras “Gira Fulô”. Trabalhou como professor de Ensino Fundamental e Educação Infantil nas redes municipais de Rio Claro, Barueri e São Paulo. Foi professor de Educação Infantil e formador de professores no Instituto Fazenda da Toca (Itirapina/SP). Hoje, atua na área de formação de professores tendo como foco a Educação Infantil e as Artes.

    PÚBLICO-ALVO Licenciandos, docentes, gestores, mantenedores, técnicos pedagógicos, dirigentes, profissionais da educação 

     

     

    DURAÇÃO 4 horas

    NÚMERO DE PARTICIPANTES Até 50

    EQUIPAMENTOS Computador, datashow, caixas de som

    MATERIAIS A nosso cargo materiais da exposição interativa, montagem, acompanhamento e desmontagem.

    VALOR R$ 1.000,00 hora/aula

    ENGENHOCAS, BUGIGANGAS E OUTROS INVENTOS

ARTÍSTICAS
 
  • EMENTA

    Sucesso entre pais e adolescentes há mais de 17 anos, o espetáculo gaúcho Adolescer volta com novidades no texto, abordando assuntos atuais entre famílias e trazendo novas trilhas, coreografias e personagens para os palcos. Escrita, produzida e dirigida pela atriz, professora e pedagoga Vanja Ca Michel, a montagem já teve 45 atualizações desde que surgiu, mantendo um roteiro sempre atual e com o jeito dos novos adolescentes. Na nova temporada, o público vai encontrar um roteiro mais voltado para as famílias, focado principalmente no relacionamento dos jovens com seus pais e na valorização dos professores, com pequenos fragmentos de textos do médico e psicanalista José Outeiral, do educador Rubem Alves e do escritor Moacyr Scliar. “Escutar é o melhor caminho para entender o que está acontecendo com essa gurizada. Passei seis meses ouvindo adolescentes, médicos, terapeutas, professores, youtubers, pais, mães e avós, e também participando de grupos de whastApp com jovens de diversas cidades do Brasil para construir o novo texto”, conta Vanja. A diretora ainda usa revistas teens, livros e artigos especializados no assunto para renovar a peça a cada ano, além de estar sempre antenada em séries, filmes, músicas, memes, gírias e modinhas do universo adolescente. Entre essas novidades, a autora destaca na nova temporada o K-Pop, gênero musical originado na Coreia do Sul que mistura coreografias em conjunto e diversos elementos visuais em vídeos e apresentações. Na peça, o público poderá subir no palco e interagir com o elenco em uma coreografia criada pela bailarina gaúcha Maki, especializada no gênero, durante uma brincadeira de Random Play Dance, que já ficou famosa entre os adolescentes do mundo todo. Além dessa dança especial que será feita com a plateia, outras coreografias assinadas por Thiago Fernandes também vão poder ser conferidas na peça. Com 14 atores em cena representam mais de 140 personagens, a montagem ainda aborda assuntos recorrentes nos últimos anos e que já são clássicos do Adolescer, como a relação dos jovens com o excesso de informações e as novas tecnologias, as difíceis tomadas de decisões e questionamentos sobre o sentido da vida, as mudanças corporais, a alta voltagem emocional, a busca da sexualidade e o suicídio.  “A afirmação de que a adolescência é uma fase difícil está presente na vida de muitos adultos, e o espetáculo Adolescer coloca no palco as maravilhas e as fragilidades desta fase tão importante. É a fase do “ser ou não ser”, de mostrar suas decisões, de descobrir quem são, para onde vão e o que querem ser. É a fase das altas voltagens emocionais e também dos lutos. O luto pelo corpo infantil, pelas ideias infantis, pela idealização dos pais.”, explica Vanja.

    FICHA TÉCNICA

    Texto e Direção: Vanja Ca Michel

    No texto pequenos complementos de: José Outeiral, Rubem Alves e Moacyr Scliar

    Coreógrafo: Thiago Fernandes

    Coreografias K-Pop: Maki

    Elenco: Anderson Vieira, Ane Troian, Débora Araujo, Francine Cercal, Guilherme Fraga, Gustavo Toledo, Joana Troian, Julia Troian, Lucas Ortiz, Luis Henrique Leite, Matheus Severo, Nathália Severo, Rafael Sidarta e Roberta Jorge.

    Arranjo Vocal e Produção Musical da música: “Como Nossos Pais” Ricardo Severo com vocal solo de Rubens Caribé.

    Desenho de luz: Moa Junior

    Trilha Sonora pesquisada: Vanja Ca Michel

    Operação de som: Alexandre Ricardo

    Fotos: Cau Guebo

    Assessoria de Imprensa: Jéssica Barcellos Assessoria de Comunicação

    Produção: Vanja Ca Michel e Moa Junior

    Realização: Cia Déjà vu

    PÚBLICO-ALVO Licenciandos, docentes, gestores, mantenedores, técnicos pedagógicos, dirigentes, profissionais da educação 

     

     

    DURAÇÃO  Espetáculo com 1h40 de duração e bate papo de 30 minutos no final.

    NÚMERO DE PARTICIPANTES Até 30

    EQUIPAMENTOS Locação de iluminação (enviamos rider).

    VALOR R$ 11.000,00 mais transporte, hospedagem e alimentação para 18 pessoas

    ESPETÁCULO ADOLESCER